~#O CANTO DO CARRO DE BOI#

09/03/2011 18:35

http://3.bp.blogspot.com/_bbVfEs53XEE/SPcmW4c-jtI/AAAAAAAAAas/6jWe7xbVUB4/s400/Carro+de+Boi.bmp


A muitos anos atrás, quando ainda levava os caixões no carro de boi para serem enterrados nas capelas, existia dois irmãos fazendeiros que moravam no sertão das Carrancas.
Uma briga por causa da partilha da herança levou os dois a ficarem inimigos para o resto da vida. Quando um dos irmãos morreu, preparam o carro de boi para levar o caixão até o cemitério na capela do Espírito Santo.

A estrada que levava para o cemitério passava dentro da fazenda do irmão inimigo, dentro do curral bem perto da casa de morada.
O cortejo saiu da fazenda do morto, muitos familiares seguiram a pé junto do carro que transportava o defunto, menos a família do irmão inimigo.
O carro de boi era muito grande e precisava de muito peso para cantar (som característico emitido pelo eixo do carro).
As duas fazendas ficavam longe uma da outra, e o irmão inimigo ficou esperando com sua família na janela de sua casa o carro passar com o morto.O cortejo já vinha pela estrada no maior silêncio do mundo, pois para o carro de boi cantar precisava de muito peso, pois o caixão com o corpo eram muito leve para fazer o carro cantar.


O irmão do morto estava ansioso para passar logo o enterro em frente de sua casa, não iria seguir junto com os parentes o enterro, porque até depois de morto o irmão ainda o odiava.
Foi então que apareceu o carro no alto do morro, muitas pessoas acompanhavam em silêncio. O irmão inimigo já tinha deixado as porteiras do curral abertas para passarem logo por sua residência.
Todos que estavam na casa se dirigiram para as janelas inclusive o irmão inimigo, ficou em silêncio vendo a multidão se aproximar com o caixão.

Quando o carro de boi entrou no curral da fazenda, começou a cantar, parecia que estava carregando uma tonelada, as pessoas que acompanhavam o enterro ficaram assustadas, pois o carro ainda não tinha cantado nenhuma vez no percurso. O carro de boi cantou tão alto que o eco vinha de longe. Quando o carro saiu do curral da fazenda ficou em silêncio, e não mais cantou até chegar ao cemitério.

http://2.bp.blogspot.com/-Caq_oGwcVY8/TXb7ktQrDnI/AAAAAAAACXE/2D6vd88M6OY/s400/crossbar36.jpg